alexmedawayhasleftthebuilding

Updated blogs: alex…. and PerfectPreflopPlay both at blogspot.com

Arquivo para a categoria “9dades”

Queridos,

gostaria de anunciar que estou largando tudo para me dedicar à minha grande paixão – o sapateado.

Anúncios

Vamo, junho!

. Continuo com o problema de estar acordando numa hora bizarra pra jogar pôquer. Mas dei minha caminhada no pátio do condomínio (acordei uma mulher num dos andares baixos de outro bloco, pelo visto, que me gritou, “Não funga. Respira!”, daí restringi o percurso a este lado de cá pra parar de incomodá-la), vi uns Dexters, levei a tradução do texto do aplicativo pra uns três quartos do total, e, quando acabei isso tudo, eram umas 8 da manhã e decidi que estava bastante bem pra começar uma sessão. Felizmente, ganhei o meu sétimo torneio do ano – e, pra não perder o costume, foi mais um torneio pequeno, tecnicamente um sit-and-go de 180 pessoas.

. Sétima vitória em 3910 torneios, mas com um grande asterisco. Primeiro, uma parte grande do que eu jogo são satélites, e eu ganhei 99 satélites no ano, e, embora estas vitórias não possam ser contadas como vitórias em torneios normais, elas certamente valem alguma coisa. Talvez o melhor jeito de calcular seja subtraindo mesmo os satélites do número total de torneios. Não tenho exatamente o número de satélites, mas dá pra estimar em 1.400. Então agora são 7 vitórias em 2.510 torneios. A média de jogadores nestes torneios foi de 2.530. Bom, não existe conta mais fácil do que esta, pois é óbvio que o jogador médio vai ganhar um torneio de 2.530 pessoas uma vez em 2.530, que é praticamente igual a uma vez em 2.510, e, como sabemos, eu ganhei 7 em 2.510, portanto 7 vezes mais do que a média. Não tive muita sorte, porém, nos finaizinhos, pois fiquei 11 vezes em segundo e 9 vezes em terceiro, mas, como fiquei entre os 3 primeiros mais vezes do que a média, não dá pra reclamar.

. Outros números importantes: a tal da assustadora má fase de quase 400 entradas perdidas já está quase caindo para menos de cem, pouco mais do que uma coceira. Ainda estamos em 773 torneios dos 3 mil que eu postulei como limite, dentro do qual seria “impossível” não ganhar um dinheiro simpático. Apesar de não ser uma prova estatística suficiente, a verdade é que, se eu alcançar esta meta num bloco de 3 mil que incluiu a pior sequência de MTT´s que eu já vi, vou considerar o teorema como verdadeiro. Se for, haverá nele um poder muito grande – qual seja, o de saber que é “impossível” não ganhar dinheiro dentro de um tempo tal (digamos dois meses se eu jogar pra caralho, mas dificilmente mais do que quatro meses).

. O outro número importante é o do lucro acumulado nos torneios de 180 pessoas, que eu jogo aos montes. Boa parte da fase apocalíptica foi causada por uma fase terrível nestes, que chegaram a dar um ligeiro prejuízo no ano, no pior ponto da fase. Mas, claro, os resultados se equilibram, e, agora já com uma amostra de mais de 1.200, eles voltaram a ser bem lucrativos. De fato, não parece má ideia ser um profissional exclusivo deles – há quem o faça com bom resultado -, mas estes não são do tipo de torneio que pode mudar a sua vida no fim de semana, de modo que realmente não me vejo deixando de jogar os torneios gigantescos, e estes menores estarão lá, enquanto eu precisar, ajudando a controlar a variância psicótica dos ubíquos colossos de 8 mil jogadores do PokerStars.

Misto-quente

. Minha impressão, ou a técnica que me ensinaram há décadas, de passar manteiga no exterior do sanduíche pra não grudar na chapa, tem o efeito exatamente oposto?

. Acordando às 2 da manhã nos últimos dias, absolutamente a pior hora possível pra jogar pôquer online. Mas, como estamos já na fase final da feitura do aplicativo de iPhone, acabo tendo coisa útil pra fazer – também estou com um livro de pôquer possivelmente bom.

.Lançaram dois filmes de Branca de Neve na mesma semana, foi isso?! E, num deles, é a Kristen Stewart que supostamente causa a ira da rainha Charlize Theron por lhe ter ultrapassado a beleza? Forçaram uma barra aí.

. Uma das tarefas pra finalizar o aplicativo é traduzir o minilivro que eu escrevi pra acompanhar o programa. Isso porque já queremos fazer o app bilíngue, em vez de tentar vender  uma versão na app store brasileira e outra pra outras lojas em que porventura consigamos vendê-lo. É o meu primeiro trabalho de tradução em mais de um ano, e , Nossa, que coisa chata! Mas suponho que é um exercício importante. Como eu não sou exatamente um action junkie – aquele tipo de jogador que, mesmo depois de muito rico, continua jogando sem parar, pois o jogo é disparado o que ele mais gosta de fazer -, é bom não me afastar completamente do ofício de escritor, que pode um dia voltar a ser a minha profissão. Aliás, é este um dos motivos da existência deste blog.

9dades

. Descobri quem no mundo tem o corpo perfeitamente oposto ao meu: Mick Jagger

. Contra todas as previsões, depois de dois ótimos dias seguidos, o mês de maio agora está no azul! Ligeiramente, mas está. Isso marca claramente o fim da pior fase de MTT´s da minha carreira, começada em abril. As entradas perdidas a partir do ponto de maior lucro no ano passaram de colossais 373, há seis dias, a apenas 167 hoje. Ainda deve parecer muita coisa, mas é a diferença entre encarar o Everest e encarar o Pão de Açúcar.

Mais importante, começando em 1 de abril, agora estamos perdendo apenas 132 entradas em 1391 jogos, e restam ainda 1609 torneios até o limite de 3 mil, dentro do qual eu ainda acho impossível não ganhar  um dinheiro entre médio e gigante. Já está parecendo fácil de novo. A vida está mais bonita.

9dades

. no pôquer, fevereiro e março foram espetaculares. estraçalhei metas e já estava me animando para um ano brilhante. não se engane, ainda o será, mas as fases muitos boas te fazem esquecer que as fases péssimas fazem parte do jogo – e desde abril estou numa destas. desde o ponto mais alto do ano até agora, perdi 373 entradas de mtt (torneios de múltiplas mesas), ou metade dos lucros de jogo (excluindo diversos tipos de bônus). pelo lado positivo, esta é (foi, espero) a pior fase de mtt que eu já tive, e nem ela foi capaz de avacalhar totalmente o ano. lá se vão mais de 4 mil torneios no ano (condizente com uma meta de 10-15 mil até o fim de dezembro), e estar lucrando numa amostra tão grande já é bem significativo. tenho até uma teoria de que deve ser impossível eu não ganhar um dinheiro significativo ao longo de qualquer bloco de, digamos, 3 mil torneios. como já estou perdendo, e bem, há 1.184 mtts, eu teria de ganhar muito nos próximos 1.816 torneios para não me autorrefutar. a verdade é que isso são muitos torneios, e que todo dia eu jogo torneios que podem, cada um deles, resolver isso de uma tacada só.

. comecei a usar o skydrive da microsoft, e achei espetacular. tentara usar aquela porcaria de HD virtual do yahoo mail, mas é uma bosta imunda, não consegui recuperar uns arquivos que tinha gravado lá. já o skydrive é perfeito – você nem se preocupa em deixar o navegador aberto; apenas fica inscrito com a sua conta do hotmail, e usa como se fosse uma pasta normal de windows explorer.

. ponto pro yahoo, porém, pois descobri o my.yahoo.com (15 anos depois do resto do mundo), e nunca estive tão organizado e informado. recomendo para todo mundo, até quem usa gmail, pois é possível dar ao yahoo a sua conta do google e passar a usar a caixa de entrada como uma das dúzias de elementos da sua página inicial.  pode botar também o facebook e twitter ali, que pra mim é ótimo, já que, em vez de ficar olhando frequentemente para uma página inteira que só serve para perder tempo (FB), você pode apenas olhar as atualizações de vez em quando, enquanto faz outras coisas mais importantes.

. ah, e estou fazendo um trabalho braçal enorme para compilar uma série de informações relevantes de pôquer numa planilha. não posso dar detalhes, pois é algo que pode virar um aplicativo de iPhone com auxílio do meu pai, que é programador. mas é uma cola monstruosa para todos os jogadores (exceto talvez para os melhores 0,05% melhores do mundo, sem exagero), e, francamente, não sei como eu jogava sem isso antes. penso em, além da cola apresentada de forma mais prática do que uma planilha de excel, incluir um minilivro em que eu explicaria com clareza os fundamentos matemáticos do jogo. a ideia é fazer um programa que funcione tão bem, e uma cartilha que explique tão bem, que mesmo os jogadores que nem entendem a necessidade do aplicativo (por ainda não estarem num nível em que se perguntam as coisas a que o programa responderá) possam passar a entender em pouco tempo, e quase imediatamente usá-lo adequadamente. cacete, eu pagaria 5 dólares alegremente a alguém que fizesse este trabalho  por mim. espero que alguns milhares de usuários de iPhone e iPad também pensem assim. mas nem precisa dar tão certo assim. ele  já é lucrativo no meu uso pessoal, e o custo de fazê-lo (meu pai deve tirar de letra a programação) vai ser próximo de zero.

Navegação de Posts

%d blogueiros gostam disto: